Proença-a-Nova: “Com floresta, turismo e empreendedorismo, com o contributo de cada um de nós, podemos sem dúvida alcançar o interior”

0

“Turismo e Empreendedorismo – Alcançar o Interior” foi o tema da Sessão Solene do Dia do Município de Proença-a-Nova que se realizou esta quarta-feira, 13 de Junho, no Centro Ciência Viva da Floresta, com todos os intervenientes a destacarem estas duas valências nos discursos oficiais. Para o presidente da Câmara Municipal, ao casamento de turismo e empreendedorismo junta-se ainda a floresta, como recurso fundamental para o produto turístico e também como matéria-prima para velhos e novos negócios. “Muito se fala de interior e de litoral e de centralidades distintas que nos colocam ora mais perto da costa, ora mais perto de Madrid, sendo nós essa centralidade. Mas, mais importante do que a geografia, Proença-a-Nova é o sítio certo. São os laços afetivos que naturalmente nos levam a defender o nosso território e a enumerar todos os motivos e mais alguns porque estamos no centro do encanto. Aqui afirmamo-nos através da nossa identidade, carregando a força que este território tem, possibilitando que continue a prosperar. Com floresta, turismo e empreendedorismo, com o contributo de cada um de nós, podemos sem dúvida alcançar o interior”, afirmou João Lobo.

Para o presidente da Assembleia Municipal de Proença-a-Nova, João Paulo Catarino, “o país começa a beneficiar dos fluxos turísticos que chegam a Portugal e o Governo tem estado a apostar fortemente em criar condições para que os turistas que vão hoje a Lisboa e ao Porto comecem a percorrer os caminhos de Portugal. Aquilo que o turista que nos interessa efetivamente procura é aquilo que o Interior de uma forma geral mais pode oferecer, que é o turismo de autenticidade, o turismo ambiental, o turismo gastronómico”. Destacou igualmente a importância de trabalhar em rede neste sector, havendo já bons exemplos com as aldeias históricas, do xisto ou os Geoparques, fazendo Proença-a-Nova parte do Naturtejo. “Precisamos continuar com estas redes: nenhum concelho do interior do país será por si só destino turístico”.

O representante da bancada do PS na Assembleia Municipal, Victor Bairrada, defendeu a criação da marca eco concelho e eco vila para Proença-a-Nova. “Devemos garantir a quem nos visita condições atrativas de bem-estar, segurança e fruição diferenciada assente nas nossas potencialidades, na nossa criatividade e hospitalidade, apostando em segmentos de mercado que valorizem a proteção e a preservação do nosso património cultural e natural em detrimento do turismo de massas, que se promovam os nossos produtos endógenos acrescentando-lhes valor com reconhecida qualidade aos vários níveis”. Já Francisco Grácio, líder da bancada do PSD, deixou a garantia de que o Grupo Parlamentar que representa prestará colaboração responsável “no sentido de, sob este desígnio, tornarmos Proença-a-Nova um destino de eleição. Destino de eleição para empresas, como a OutSystems, que pretendem deslocalizar os seus centros, destino de eleição para quem quer conhecer gentes, tradições, paisagens e gastronomia genuínas; mas, e sobretudo, destino de eleição para os talentos que, deixando a sua terra para estudar, a ela possam voltar e realizarem-se profissionalmente. Proença-a-Nova tem a obrigação de dar a mão e proporcionar o melhor às suas gentes”, referiu.

A entrega da Medalha Municipal de Mérito Empresarial, a título póstumo, ao empresário proencense Daniel Lourenço foi o momento mais emotivo da Sessão Solene. Para o presidente da Câmara Municipal, esta homenagem pretende destacar alguém que teve a visão de olhar para a floresta e a partir dela produzir riqueza. “Neste caso específico, é ainda de assinalar a preocupação social que o empresário sempre demonstrou, dando oportunidades sem descriminar quem lhe pedia emprego, assegurando a proteção social numa altura em que a legislação laboral em vigor não defendia os trabalhadores como hoje em dia. Queria ter realizado esta homenagem no ano passado, mas circunstâncias várias levaram-me a adiar a proposta, mostrando-se hoje o momento do reconhecimento, ainda que a título póstumo, numa distinção que é muito merecida pelo seu trajeto de vida e nele reconheço aqui todos os empresários do concelho de Proença-a-Nova”, referiu João Lobo na sua intervenção.

Na contextualização à figura de Daniel Lourenço, o professor António Manuel Silva apresentou um pouco do percurso de vida do empresário que nasceu em 1925, nos Casais Fundeiros, e faleceu em janeiro deste ano. “Daniel Lourenço foi um empreendedor na verdadeira aceção do termo. Podemos incluí-lo na categoria mítica de «empreendedor nato», na categoria daqueles empresários que começam a trabalhar muito jovens, com poucas condições, de origens humildes, que se vão formando empiricamente através da experiência, da reflexão, do exemplo, da tentativa e do erro, mas que vão adquirindo habilidades e competências empresariais e acabam por criar e desenvolver grandes empresas”.

Na sua intervenção, destacou a preocupação social do empresário e o facto de ter empreendido na terra que o viu nascer, apesar das dificuldades acrescidas que teve de enfrentar. “A melhor homenagem que, hoje, podemos prestar à memória de Daniel Lourenço é alimentarmos o espírito empreendedor que ele revelou e continuarmos a gostar da nossa Terra e das nossas gentes”, concluiu António Manuel Silva. Recebeu a Medalha Municipal de Mérito Empresarial Conceição Fernandes Lourenço, esposa do homenageado.

Na Sessão Solene foram ainda divulgados os vencedores do Prémio Literário Pedro da Fonseca (Inês Montenegro na categoria de conto e Lucília Nunes na categoria de Poesia) e foi assinado um protocolo de colaboração entre o Centro Ciência Viva da Floresta e o SerQ – Centro de Inovação e Competências da Floresta. Ana Sofia Ventura, natural do concelho, interpretou o hino e o momento musical da Sessão Solene.

Ler Artigo Original

Partilhar

Sobre o autor

Comentários fechados.

Powered by themekiller.com