Larvas levam a alerta no consumo de javali

0

O consumo de carne de javali proveniente da caça encerra riscos para a saúde. A Direção-Geral de Alimentação e Veterinária divulgou, ontem, a imposição de novas medidas sanitárias para controlo do risco de transmissão de triquinelose ao homem e determinou os concelhos de Trás-os-Montes como área de risco.

O reforço das medidas de controlo da doença foi adotado depois de, no decorrer do “plano de vigilância, ter sido comprovada a presença de larvas de trichinella – o agente causal da triquinelose – em javalis abatidos em zonas de caça localizadas em concelhos de Trás-os-Montes”, divulgou a DGAV.

A autoridade veterinária determinou que “todos os animais abatidos em atos venatórios praticados na área destes concelhos sejam submetidos a pesquisa de trichinella, previamente a qualquer tipo de consumo, quer para colocação no mercado, quer para consumo doméstico privado”, cabendo a um médico veterinário oficial realizar a inspeção da caça.

A DGAV determinou também, por edital, a imposição de mecanismos que permitam o correto encaminhamento dos subprodutos dos animais caçados pelas autoridades competentes para a sua posterior destruição.

Fora de Trás-os-Montes, “ficam as entidades gestoras de caça também obrigadas a assegurar o encaminhamento das peças de caça para um estabelecimento de tratamento aprovado, para serem submetidas a inspeção sanitária quando são destinadas à colocação no mercado”.

Fora de ação dos veterinários ficam as peças para consumo familiar. Contudo, “como medida de precaução, foi recomendado que qualquer carne proveniente de javalis abatidos que não tenham sido submetidos à pesquisa de trichinella seja previamente sujeita a tratamento térmico por cozedura ou congelação”.

Fonte: Correio da ManhãLer Artigo Original

Partilhar

Sobre o autor

Escrever Comentário

Powered by themekiller.com