Festival do Plangaio ganha terreno a cada ano que passa

0

A freguesia de Sobreira Formosa, no concelho de Proença-a-Nova, recebeu este fim-de-semana o Festival do Plangaio e do Maranho, dois produtos gastronómicos de destaque do concelho.

Este é um dos quatro certames que o Município descentraliza anualmente e que tem vindo a subir de qualidade, destacou João Manso, vice-presidente da câmara municipal. “Estamos a subir uma escada e este ano é mais um de afirmação deste evento”, reforçou. A intenção é, “nas quatro freguesias do concelho fazer um evento que trate um produto local”, disse, lembrando que na freguesia de S. Pedro do Esteval decorre o Festival do Peixe do Rio, nos Montes da Senhora acontece o Festival da Cereja e em Proença-a-Nova o da Tigelada. “Estes festivais ligam-se diretamente a produtos endógenos que queremos preservar e divulgar e que valorizam o nosso concelho”, vincou João Manso.
O plangaio é uma iguaria com grande tradição naquela zona do concelho de Proença-a-Nova e, graças à persistência de alguns, hoje é já um produto certificado, contou Fátima Verganista que continua a produzir este enchido no talho, desde que este abriu ao público. Com o decorrer do tempo “resolvemos pegar a sério no plangaio e certificá-lo”, esclareceu.
Este era um enchido que se servia em tempo de festa, como por exemplo na altura da matança do porco e tem por base a massa da farinheira.

Esta iguaria noutros tempos era comida em tempo de festa como por exemplo na altura da matança do porco. Tem por base a massa da farinheira onde se misturam bocadinhos de entrecosto, a ponta dos rabos do porco, os ossos do espinhaço e a ponta das pás, tudo cortado. Envolve-se na massa da farinheira, é cheio na bexiga do porco e vai ao fumeiro alguns dias. Este produto é depois cozido e servido com hortaliça ou salada.
Paralelamente este certame realizou-se um atelier de cultura e gastronomia em que se convidou os participantes a colher as espigas de milho, amassar, cozer e provar a tradicional broa de milho.
No domingo o ponto alto do festival foi marcado pela reconstituição da Batalha do Alvito, com início no Edifício Forte e Baterias às 15:00, dirigindo-se em cortejo para a Praça Cónego José Esteves (local onde decorre o Festival do Plangaio e do Maranho). Esta ação encenada representou o choque entre os invasores vindos de Espanha e as tropas portuguesas comandadas pelo Conde Lippe em 1762, cujo choque se deu junto à ribeira do Alvito na zona da Catraia Cimeira, perto do Forte das Batarias.

Fonte: Rádio Condestável

Ler Artigo Original

Partilhar

Sobre o autor

Comentários fechados.

Powered by themekiller.com