Feira do Folar de Valpaços decorre este fim-de-semana e apresenta pela primeira vez produto certificado

0

Valpaços promove mais uma Feira do Folar, que vai decorrer de 23 a 25 de Março, este ano com a novidade de receber pela primeira vez produto certificado. “Acreditamos que esta será a maior feira de sempre”, sublinhou presidente da Câmara de Valpaços, Amílcar Almeida, na apresentação do evento.

O certame tem no folar o rei da festa, mas apresenta também um salão de vinhos, com produtores do concelho, e outros produtos de qualidade como azeite, um dos melhores do mundo, mel, frutos secos, enchidos, artesanato e outros. No total serão cerca de 120 expositores, todos do concelho, com a feira a gerar um volume de negócios directo de cerca de um milhão de euros.

Dado que o actual pavilhão de exposições é exíguo face ao crescente interesse que este evento tem despertado junto de novos expositores, a autarquia pensa já em um novo espaço de exposições, que o autarca de Valpaços espera ver concluindo ainda durante o mandato que iniciou em Outubro de 2017.

A feira ajuda há 20 anos os produtores tradicionais e industriais a concretizar negócios e gera uma receita directa de um milhão de euros. O certame realiza-se uma semana antes da Páscoa, época em que esta iguaria tem um lugar de destaque nas mesas dos transmontanos.

O presidente da Câmara de Valpaços, Amílcar Almeida, afirmou que a vigésima edição da feira representa o início da venda do folar certificado de Valpaços, depois da atribuição da Indicação Geográfica Protegida (IGP), em 14 de Fevereiro 2017.

Este ano será essencialmente o folar industrial que cumprirá o caderno de encargos da certificação, um processo que abarcará o folar tradicional no próximo ano. “O folar é uma forma de alavancar a nossa economia e a certificação do folar abriu portas para muitos jovens meterem as mãos na massa”, frisou.

Segundo o autarca, o volume de negócio no recinto da feira é de “cerca de um milhão de euros”. À venda estarão cerca de 50 toneladas de folar e fumeiro. A organização da feira representa um investimento de cerca de 120 mil euros para o município e o retorno é, segundo o autarca, “claramente superior”.

O folar é uma iguaria que marca presença obrigatória em praticamente todos os lares transmontanos durante a celebração da Páscoa e é feita com ovos, farinha, azeite e várias carnes como presunto, salpicão, linguiça e carnes de porco.

Durante os três dias do certame são esperados cerca de cem mil visitantes, muitos deles provenientes da vizinha Galiza, do Minho, Grande Porto e, de acordo com Amílcar Almeida, há cada vez mais excursões do Sul do país.

Pelo recinto vão espalhar-se cerca de 120 expositores e à venda estarão folares de produção tradicional e industrial, produzidos pelas padarias ou em fornos de particulares, que aproveitam o certame para fazer algum rendimento extra.

A feira é também uma “oportunidade única para que muitos produtores arranjem clientela para vender o folar o ano inteiro e não apenas na época da Páscoa”. “Queremos que o folar chegue cada vez mais longe, num trabalho que está a ser feito com quem faz o folar ao longo de todo o ano”, frisou. Segundo o autarca, uma das grandes apostas passa pela exportação do produto congelado.

O certame serve também para promover e potenciar outros “importantes produtos” deste concelho do distrito de Vila Real, como a castanha, azeite e vinho, sectores que, segundo Amílcar Almeida, representam cerca de 50 milhões de euros por ano.

Ler Artigo Original

Partilhar

Sobre o autor

Escrever Comentário

Powered by themekiller.com