Herdade das Servas arrecada “dupla de Ouro” no Challenge International du Vin 2019

0

Herdade das Servas arrecada “dupla de Ouro” no Challenge International du Vin 2019

Produzidos pelos irmãos Luís e Carlos Serrano Mira no Alentejo, o ‘Herdade das Servas Reserva branco 2017’ e o ‘Herdade das Servas Touriga Nacional tinto 2015’ – ambos lançados no final do ano – acabam de conquistar ‘Medalha de Ouro’ na 43.ª edição do Challenge International du Vin, o mais antigo e maior concurso da especialidade de carácter internacional, organizado em França. A dupla é feita a partir de castas portuguesas vindimadas e vinificadas na propriedade vitivinícola com o mesmo nome, situada a escassos qui lómetros da cidade de Estremoz.

Arinto (50%), Verdelho (25%) e Alvarinho (25%) foram as castas (es)colhidas a dedo na colheita de 2017 do ‘Herdade das Servas Reserva branco’. Após o desengace e esmagamento, as uvas foram prensadas em prensa pneumática, seguindo-se a decantação estática durante 48 horas e a fermentação em barricas de carvalho francês. O estágio de nove meses também decorreu em barricas de carvalho francês, desta vez com batonnage regular. Depois de engarrafado, repousou por seis meses na cave. Resultado: revela-se um vinho límpido, de cor palha, com aromas de pêssego, lima, limão e tangerina e notas de tosta da barrica. Na boca, confere frescura, untuosidade e estrutura; apresenta notas cítricas e tostados da barrica; e o final é persistente.

Por sua vez, o ‘Herdade das Servas Touriga Nacional tinto 2015’ é feito a partir da casta bandeira de Portugal. As uvas foram cuidadosamente selecionadas na mesa de escolha, desengaçadas e submetidas a maceração pré-fermentativa; fermentaram em lagar e cuba de inox com controlo de temperatura e estagiaram em barricas novas de carvalho francês e de segundo ano de carvalho francês e americano por 12 meses. O vinho foi engarrafado e mantido em repouso por 16 meses na cave na propriedade alentejana. Esta colheita de 2015 apresenta-se límpida, de cor vermelho violeta profundo, com aromas de groselha, amora, figo, chocolate, pimenta e notas florais de violeta. Na boca mostra-se complexo, volumoso e fresco; denota tostados de barrica de carvalho, taninos ricos e final persistente, revelando todo o potencial de guarda e envelhecimento entre 20 a 30 anos. Para preservar todas as suas qualidades, não foi estabilizado, podendo naturalmente criar depósito.

Ao chegar à mesa, o primeiro apresenta características que reúnem condições para a harmonização com peixes assados no forno, carnes brancas, queijos e enchidos, enquanto o segundo pode ser servido com pratos de carne vermelha e de caça, bem como com queijos intensos e enchidos depois de decantado.

Ler Artigo Original
Fonte: Gazeta Rural

Partilhar

Sobre o autor

Comentários fechados.

Powered by themekiller.com