Syngenta apresenta resultados das tecnologias Artesian e Lumax na cultura do milho

0

Syngenta apresenta resultados das tecnologias Artesian e Lumax na cultura do milho

A Syngenta participou no dia de campo SaniMilho, em Coruche, a 28 de Setembro, onde realizou ensaios com as suas variedades de milho Hydro e Helium, a três densidades de sementeira, aplicando o programa de protecção fitossanitária em pré-emergência Lumax.

Foram cerca de 180 participantes que observaram os resultados dos campos de ensaio de milho, na Estação Experimental António Teixeira em Coruche, onde decorre o projecto de investigação aplicada SaniMilho. Este ano estiveram em teste três densidades de sementeira – 85.000, 95.000 e 105.000 plantas/hectare – no pivot de milho instalado.

Nas parcelas semeadas com as variedades Hydro e Helium “verificou-se boa sanidade das plantas e o terreno encontrava-se totalmente livre de infestantes, comprovando a eficácia da estratégia de aplicação do herbicida Lumax em pré-emergência da cultura e das infestantes, em comparação com outras parcelas do pivot, onde outras empresas usaram estratégias de controlo de infestantes em pós-emergência”, refere uma nota da Syngenta.

“Não existem diferenças significativas no desenvolvimento das plantas e no tamanho das maçarocas nas duas densidades de sementeira mais baixas, já na densidade a 105.000 sementes/hectare como seria de esperar, com uma densidade superior onde temos mais concorrência entre plantas, o tamanho das maçarocas é algo inferior. A expectativa que temos é grande relativamente à produção, uma vez que estamos em presença de híbridos com grande potencial produtivo para os seus ciclos. Só após a colheita poderemos concluir se a densidade mais elevada resulta num maior rendimento (ton/ha). Sendo que os dados de rendimento das nossas parcelas serão publicados oportunamente”, explica o especialista da Syngenta para a cultura do milho, Gilberto Lopes.

Tecnologia Artesian

As variedades Hydro e Helium incorporam a tecnologia Artesian que ajuda a obter produtividades mais altas em condições óptimas de rega, como foi o caso no ensaio de Coruche. “Mas é quando expostas a situações de stress hídrico que as variedades Artesian se destacam das convencionais, pelas menores perdas de produção”, acrescenta a mesma nota.

A jornada em Coruche incluiu uma apresentação sobre a problemática da cefolosporiose, doença conhecida por murchidão tardia do milho, que já é endémica na região da Golegã e está a avançar por todo o Vale do Tejo. Os ensaios conduzidos no âmbito do projecto MaisMilho indicam que pode haver um diferença de rendimento à colheita de 4 toneladas/hectare, entre variedades sensíveis e variedades tolerantes a este fungo.

Constituição do InovMilho

Paralelamente ao dia de campo, decorreu na Estação Experimental António Teixeira a assinatura do protocolo de constituição do InovMilho – Centro Nacional de Competências das Culturas do Milho e Sorgo, criado pela Anpromis, o INIAV, a Câmara Municipal de Coruche, com a participação de 35 entidades públicas e privadas. Este Centro visa a elaboração de uma agenda de investigação para as culturas do milho e sorgo que sirva de orientação às políticas públicas e a promoção da competitividade desta fileira, através do uso racional e mais eficiente dos factores de produção.

“É muito positiva a criação do InovMilho para que se dedique mais atenção e investimento aos problemas que afectam a cultura do milho. A Syngenta estará sempre disponível para colaborar neste e noutros projectos com as suas soluções integradas de sementes e protecção da cultura”, refere Gilberto Lopes.

A Syngenta é uma das empresas líderes no seu ramo de actividade. O grupo emprega mais de 27.000 pessoas em mais de 90 países.

Syngenta 2016-10-05 Ana Cordeiro de SáLer Artigo Original

Partilhar

Sobre o autor

Escrever Comentário

Powered by themekiller.com