Reflorestação de monte preserva natureza e tradição do Pinheiro nas Festas Nicolinas em Guimarães

0

????????????????????????????????????

Plantação reflorestou local onde é cortado anualmente o pinheiro para o cortejo que anuncia o princípio da festa dos estudantes de Guimarães. Iniciativa teve uma mensagem ecológica associada.

A plantação de uma dezena de pinheiros, da espécie “pinus pinaster”, na Quinta de Aldão, local de onde, desde há muitos anos, por vontade dos seus donos originais e sucessores, é retirado um exemplar para o cortejo das Festas Nicolinas, resultou na reflorestação daquele simbólico terreno, numa iniciativa da Associação dos Antigos Estudantes do Liceu de Guimarães (AAELG) para a qual foram convidados o Presidente da Câmara Municipal, Domingos Bragança, e os membros da Comissão de Festas liderada este ano por Nuno Guimarães.

Além de promover a preservação da natureza e de uma tradição secular vimaranense, esta ação de carácter ambiental teve também como objetivo realizar um encontro informal entre novos e velhos nicolinos e dar continuidade a uma decisão anunciada quando a associação plantou meia centena de pinheiros como forma de assinalar o início das comemorações dos 50 anos da AAELG, tendo ficado definido nessa altura que, doravante, seria plantado pelo menos um pinheiro em substituição do então retirado.

«Este gesto simbólico tem uma mensagem ecológica de contemporaneidade extremamente importante, inserindo-se também no caminho que estamos a percorrer para a candidatura de Guimarães a Capital Verde Europeia. Todos sabemos que não podemos consumir mais do que a natureza nos dá e esta é uma mensagem de emoção e de afeto, mas também de exemplo a seguir», referiu Domingos Bragança, depois de ter plantado no Monte de Aldão um dos dez pinheiros nicolinos.

«Este é um dia de grande alegria e de boas memórias», começou por mencionar Augusto Costa, Presidente da AAELG, realçando a «importância de transmitir o espírito nicolino» à nova Comissão de Festas, cujos membros ficaram imediatamente a conhecer o local onde será cortado o pinheiro, além de serem iniciados os procedimentos inerentes ao cortejo de 29 de novembro. «Aquilo que se tira deve-se repor da natureza», acrescentou Augusto Costa.

A opinião foi igualmente partilhada por Nuno Guimarães, Presidente da Comissão 2016. «Este encontro é uma forma de agradecimento e de contacto entre gerações de nicolinos, integrando mais facilmente quem está a chegar». Pedro Martins da Costa, em representação da família proprietária da Quinta de Aldão, disse que a oferta da árvore está associada a uma «longa tradição» e que esta ação revela uma «atitude de responsabilidade ecológica e um momento de comunidade que permite, também, uma excelente jornada de convívio».

Ler Artigo Original

Partilhar

Sobre o autor

Escrever Comentário

Powered by themekiller.com