Projecto Endògenos regressa a Penela

0

Projecto Endògenos regressa a Penela

O Projecto Endògenos regressa a Penela para valorizar os produtos e sabores autóctones da região, através de um jantar no restaurante Dom Sesnando, no sábado dia 24 de Setembro, com uma ementa criada e preparada pelos Chef António Alexandre e Chef Minda, residente no restaurante em causa.

Por 30 euros pax, o menu desfila com:

“Para Começar”

Nozes, figo passa, mel, azeite de Sicó aromatizado sobre broa da ‘sogra’, Queijo Rabaçal em azeite, ovos da merenda harmonizado com Gin ‘Originall’, Cerveja artesanal ‘Bordallo’ & Vinho Branco ‘Prior Lucas’

“Do Campo e da Vinha”

Fígado de aves, lardo, azeite extra virgem, uva Fernão Pires, jeropiga, nozes, Rabaçal curado harmonizado com Vinho Branco ‘Casa de Alfafar’

“Da Horta com Saudade”

Bacalhau, grão-de-bico preto, sames, couve coração de boi, azeitona de Sicó harmonizado com Vinho Branco ‘O Borracho’

“É do Tacho e com História”

Cabrito, caldeirada, chícharos, nabada, centeio harmonizado com Vinho Tinto ‘Encosta da Criveira’

“São Bagos, São Grãos”

Grão-de-bico preto, abóbora, mel, uva, chocolate

“Um Doce”

Doce, jeropiga e café da ‘xicolateira’

O valor do jantar Endògenos inclui a participação, domingo 25 de Setembro, na Festa à Vinha na aldeia de Chança com: Cortejo etnográfico, vindima, bênção das uvas, pisa da uva e almoço convívio na aldeia.

A harmonização vínica cabe a Terras de Sicó, Encosta da Criveira – Branco/Tinto, Borracho – Branco/Tinto e Prior Lucas – Branco/Tinto.

Esta iniciativa Endògenos, que carece de reserva prévia para o email endogenos@nunonobre.com , decorre a partir das 19h30 e tem um custo associado de 30 euros/pax.

A vila de Penela

Situada entre Coimbra e Tomar, em plena artéria rodoviária que liga a Lusa Atenas ao burgo banhado pelo rio Nabão, e a cerca de três dezenas de quilómetros da primeira, surge a vila de Penela, situada na encosta poente de um monte entre as cotas 230 e 290 metros, local preciso da Torre de Menagem do Velho Castelo, ex-líbris da monumentalidade do concelho. Fundada ainda antes da nacionalidade, teve o seu primeiro foral em Julho de 1137, concedido por D. Afonso Henriques, sendo portanto um dos Municípios mais antigos do País.

O restaurante Dom Sesnando é uma das montras da gastronomia local. É das mãos da “Dona Minda” que, com a sua sabedoria ancestral e mestria, saem agradáveis subtilezas do sabor: as deliciosas Sopas, o Queijo Rabaçal gratinado com mel, os deliciosos pratos de Bacalhau, passando pelo Cabrito assado, a Chanfana, terminando num delicioso Leite-creme. O Queijo do Rabaçal, o Vinho das Terras de Sicó, o Azeite de Sicó, o Mel da Serra da Lousã ou a Noz, são por si só uma identidade gastronómica do território.

“Esta iniciativa entronca na filosofia do projecto Endògenos que interpreta experiências enogastronómicas com o objectivo de preservar, dignificar e valorizar os produtos autóctones portugueses, provenientes da terra e mar, e suas origens”, diz fonte da do projecto.

Valorização do Medronheiro

Lançado em finais de 2013, o Endògenos teve a sua 1ª edição com a valorização do Medronheiro pelo Chef Luis Miguel Rodrigues do restaurante Bastardo. Em Janeiro de 2014, a 2ª edição foi toda ela dedicada ao Ouriço-do-mar por Chef António Alexandre, no restaurante 100 Vícios, seguindo-se no dia 13 de Março, no restaurante Aviz, um jantar temático dedicado ao Capão, num menu degustação autoria do Chef Cláudio Pontes. A 5 de Abril, esteve em Peniche, no Hotel Pinhalmar, com um menu dedicado às Algas, sob a responsabilidade do Chef Bruno Gaspar, da Escola Hotelaria de Colares. Carapau Seco foi o mote da edição seguinte, a 3 de Maio, na Nazaré, com pratos criados pela Chef Ana Pereira, da Taverna Do 8 ó 80. O Chefe Cordeiro, a 28 de Maio, “mandou todos à Fava” no seu restaurante de Lisboa. A 17 de Julho, o restaurante Flores do Bairro acolheu o menu do Chef Vasco Lello dedicado à Sardinha. Em Odivelas, coube a Vitor Claro valorizar a Marmelada Branca de Odivelas a 9 de Outubro.

A 10 de Fevereiro de 2015, o Carolo de Milho foi rei no restaurante Adega Machado, com o Chef Alexis Gregório, seguindo-se em Março, a valorização do Berbigão por parte do Chef Ivan Fernandes, no Restaurante Clube dos Jornalistas, em Lisboa. Já em Fevereiro deste ano, a ostra brilhou no restaurante LeMoustache Smokery pelas mãos do Chef Daniel Cardoso.

Mas o Endògenos não vive só de jantares temáticos. Foi responsável pela promoção dos “Sabores da Tapada”, festival de carne de caça da Tapada de Mafra, criou e produz o Festival internacional do Ouriço-do-mar, na Ericeira, e esteve presente em vários showcookings para valorização de autóctones e suas origens, no Festival do Marisco de Ribamar em Mafra, Feira Nacional dos Frutos Secos em Torres Novas, Mostra de Doces Conventuais em Santarém, entre outros.

Esteve ainda presente pelo 2º ano consecutivo, em Outubro 2015, no Festival Wine In Azores com a sua tasca nativa de autor, para valorização de produtos autóctones daquele arquipélago.

O projecto Endògenos cabe à dupla Nuno Nobre, empresário e consultor em gastronomia na NNA Consultoria, e António Alexandre, chefe executivo do Lisboa Marriott Hotel.

Agricultura e Mar Actual

Endògenos 2016-09-13 Ana Cordeiro de SáLer Artigo Original

Partilhar

Sobre o autor

Escrever Comentário

Powered by themekiller.com