Produtores de leite sentem solidariedade dos consumidores portugueses

0

As campanhas de sensibilização ao consumo de leite português “têm dados os seus frutos”, afirmou hoje o presidente da Associação dos Produtores de Leite de Portugal (APROLEP), Carlos Neves, que abordou o tema durante a inauguração da Feira Agrícola “Portugal Rural”, em Vila do Conde.

“Sentimos a vontade das pessoas em consumirem leite nacional, como também da distribuição, pois, após os nossos apelos, muitas cadeias de hipermercados têm-se comprometido a comprar leite 100 por cento nacional”, afirmou o dirigente.

Carlos Neves mostrou-se convencido que se o consumidor “tiver produtos equivalentes no preço prefere sempre comprar o nacional, no qual tem maior confiança”.

“Sabemos que as marcas brancas estão a vender-se menos e as marcas tradicionais portuguesas estão vender-se mais, porque o consumidor, além da confiança nos produtos portugueses, está solidários com o nosso setor”.

Apesar deste passo positivo, o presidente da APROLEP considera que continua a faltar algo de muito importante: “A indústria comprar mais e pagar um preço melhor aos agricultores”.

“Continua a faltar a indústria repor os preços, e pagar, pelo menos, 30 cêntimos por litro de leite, acompanhando esse esforço do consumidor e até da distribuição, que por agora ainda não chegou ao agricultor”, vincou Carlos Neves.

O dirigente lembrou que “o leite não pode ser oferecido, tem de ser pago a um preço mínimo que compense os custos de produção e permita aos agricultores uma vida condigna”.

O também produtor lembrou que se esse esforço não vingar “os agricultores continuarão a endividar-se para tentar sobreviver e sem margem alguma para investirem nas explorações”.

A Feira Agrícola “Portugal Rural”, que decorre até 11 de setembro em Vila do Conde, pretende promover os produtos agrícolas nacionais e da região.

Carlos Moreira, presidente da Associação de Agricultores de Vila de Conde, uma das entidades responsáveis pela organização do certame, espera que a iniciativa “ajude a dinamizar as explorações agrícolas, mas também toda uma economia que direta e indiretamente está ligada ao setor”.

“É importante trazer aquilo que produzimos no campo para cidade, para que, por exemplo, as nossas crianças percebam os processos, e não achem que leite ou os vegetais vêm do hipermercado”, vincou Carlos Moreira.

Esta 13.ª edição da Feira Portugal dá este ano uma especial atenção às Casas Agrícolas do Concelho de Vila do Conde, dando a conhecer a história e tradições agrícolas do concelho, e caminho de dinamização e modernismo que trilharam nos últimos anos.

Do programa do certamente fazem ainda parte exposições das atividades agrícolas e de animais, corridas de galgos, provas e desfiles equestre, mostras e espaços gastronómicos, mercado rural, passeio de BTT pelo concelho, e animação musical.

Fonte: Notícias ao Minuto

Ler Artigo Original

Partilhar

Sobre o autor

Escrever Comentário

Powered by themekiller.com