Mulch Biodegradável Agrobiofilm da Silvex recebe menção honrosa

0

A Silvex obteve uma menção honrosa no âmbito do Prémio Produto Inovação promovido pela Cotec e ANI, para o seu produto Mulch biodegradável Agrobiofilm.

O Mulch biodegradável Agrobiofilm é um polímero biodegradável para cobertura do solo (mulch) que permite a substituição do plástico de origem fóssil, proporcionando a obtenção de produtos agrícolas com rendimento e qualidade igual ou superior à obtida com mulch de polietileno (PE). No final do ciclo da cultura, incorpora-se no solo, sendo completamente decomposto por acção de micro-organismos, resolvendo, assim, quer o problema da contaminação dos solos agrícolas com plástico PE, quer a acumulação dos mesmos em aterros e lixeiras. Produzido a partir de fontes renováveis, contribui para a sustentabilidade das práticas agrícolas.

“A Lei da Fiscalidade Verde tratou o problema dos sacos de plásticos leves. No entanto, o legislador omitiu, supostamente por desconhecimento da realidade, a problemática dos impactos ambientais que tem o plástico de origem fóssil na agricultura”, diz um comunicado da Silvex.

“O impacto negativo no ambiente é muito maior que o dos sacos leves, visto que estes, em grande parte, ainda eram utilizados para o lixo. Ou seja, com os sacos leves ainda havia a possibilidade da sua reutilização e reciclagem limpa (deposição em ecoponto) enquanto o plástico de origem fóssil utilizado na agricultura (como cobertura de solo), muito dificilmente pode, sequer, ser reciclado”, acrescenta a mesma nota.

O Prémio Produto Inovação é promovido pela COTEC e ANI e tem como objectivo central o de premiar e divulgar publicamente produtos (bens ou serviços) inovadores ou famílias de tais produtos desenvolvidos por empresas nacionais ou estrangeiras, de qualquer dimensão, que operem em Portugal. O Prémio Produto Inovação COTEC-ANI foi entregue pelo Presidente da República no 13.º Encontro Nacional de Inovação COTEC, que se realizou a 22 de Novembro.

Os plásticos agrícolas

Em Portugal, mais de 25 mil hectares de terreno são cultivados recorrendo ao plástico de polietileno para cobertura do solo, o que representa a utilização de cerca de 5.000 toneladas de plástico de origem fóssil. Mesmo que, no fim do ciclo da cultura, os agricultores o procurem remover, é impossível não permanecerem resíduos no solo, que se vão acumulando, ano após ano, contribuindo para a crescente e irreversível contaminação dos solos.

O destino autorizado destes resíduos passa pela deposição em aterro, incineração e reciclagem. As duas últimas opções são pouco utilizadas, quer seja por falta de instalações adequadas (incineração) quer seja pelo facto deste plástico se encontrar contaminado com pesticidas, terra e restos de plantas, tornando a reciclagem destes resíduos pouco interessante em termos económicos e ambientais (requerem elevado consumo de água e energia com pré-lavagem e descontaminação). Acresce que a deposição em aterro, sendo a solução mais comum, apesar de permitida pela legislação, vai contra os compromissos de Portugal em reduzir a percentagem de resíduos com esse destino final.

O mulch Agrobiofilm é produzido de acordo com os requisitos das culturas a que se destina, existindo soluções para solarização do solo, milho doce, alface, rúcula, espinafres, cebola, alho, batata, melão, curgete, beringela, tomate em fresco, tomate de indústria, pimento, fisális, morango, vinha, fruteiras e ornamentais em viveiro.

Este mulch permite ainda controlar as infestantes sem recurso ao dispendioso trabalho de sachas (manuais e mecânicas), aumentar a eficiência da rega por maior retenção da humidade do solo, aumentar a temperatura do solo, antecipar a data de colheita em culturas anuais e a entrada em produção de culturas perenes, melhorar a uniformidade da maturação, aumentar o teor de sólidos solúveis totais (ou °Brix) dos frutos, aumentando, assim, a produtividade, qualidade e rentabilidade da cultura, refere a Silvex.

A utilização de plásticos biodegradáveis na agricultura é apoiada ao abrigo da “Estratégia Nacional para programas operacionais sustentáveis de organizações de produtores de frutas e produtos hortícolas”. Em Portugal, os agricultores enquadrados numa Organização de Produtores (OP) podem beneficiar de uma comparticipação de até 52,2% no preço do mulch biodegradável, através da medida “7.6 – Utilização de plásticos biodegradáveis”.

A Silvex é uma empresa familiar, com 48 anos de experiência na criação e fabrico de produtos de consumo em plástico e papel. Em Portugal são os maiores fabricantes de embalagens domésticas e sacos de recolha de resíduos, líderes de mercado nas principais cadeias de hipermercados e supermercados.

Mais de 40% das vendas desta empresa são exportações, sendo aprovada por grandes marcas globais tais como: a Tesco e marks and Spencer no Reino Unido, Auchan, Coca-Cola, Nestlé e por todos os principais retalhistas em Portugal e Espanha, que confiam as suas marcas, desde a concepção do produto, ao design e embalagem.

Agricultura e Mar Actual

Silvex 2016-11-24 Ana Cordeiro de SáFonte do Artigo

Partilhar

Sobre o autor

Escrever Comentário

Powered by themekiller.com