Jovens Agricultores precisam-se! Especialistas reunidos na Madeira debatem soluções

0

A Europa confronta-se com o desafio de renovar as gerações de agricultores, de criar dinâmicas e emprego no mundo rural. Em Portugal, 3 em cada 4 gestores agrícolas têm mais de 55 anos e na União Europeia mais de metade dos agricultores tem 55 anos de idade ou mais.

Nos dias 25 e 26 de novembro, os Jovens Agricultores serão tema de uma Conferência na Calheta, Região Autónoma da Madeira, organizada pela AJAP-Associação dos Jovens Agricultores de Portugal, com o apoio do Governo da Região Autónoma da Madeira.

António Correia de Campos, Augusto Mateus, Ângelo Correia, Luís Marques Mendes, João Machado, Arlindo Cunha, Daniel Bessa estão entre os oradores.

«Importa ter bem presente os desafios atuais e futuros da atividade agrícola – inovação, tecnologia, mercados, internacionalização, segurança alimentar, sustentabilidade e ambiente – e acima de tudo que os jovens apenas podem optar pela agricultura se as projeções do negócio demonstrarem rentabilidade», afirma Firmino Cordeiro, Diretor-Geral da AJAP.

A AJAP, que representa os interesses dos jovens agricultores portugueses, apresentará na Conferência da Madeira propostas concretas nomeadamente sobre o Acompanhamento Técnico e sobre a importância da criação da figura do Jovem Empresário Rural. Este conceito inovador visa contribuir para fixar os jovens no Espaço Rural, através da criação do próprio emprego em atividades agrícolas, florestais e outras, como o turismo ou o lazer, que contribuam para a valorização dos recursos naturais, culturais e sociológicos das zonas rurais.

O Quadro de Apoio à Instalação de Jovens Empresários Rurais proposto pela AJAP inclui: a criação de novas medidas com financiamento a fundo perdido com taxas variáveis em função do tipo de investimento, apoio à criação de postos de trabalho, isenções fiscais (IRS/IRC nos primeiros 3 anos de instalação), redução/isenção de IMI e bonificação das taxas de juro. Prevê também o surgimento de um mecanismo de “Via Verde”, visando agilizar os procedimentos necessários à viabilização dos investimentos propostos pelos jovens.

Vários dos oradores desta Conferência expressam o seu apoio à criação Jovem Empresário Rural e pedem que o Governo legisle no sentido de o reconhecer e financiar através de apoios públicos.

O presidente da Confederação dos Agricultores de Portugal (CAP), João Machado, comenta: «parece-nos uma medida acertada. Tudo o que seja para valorizar a atividade dos empresários agrícolas e dos jovens no mundo rural, em particular, a CAP apoia e está de acordo».

Outra preocupação da AJAP é reduzir a taxa de insucesso dos investimentos dos jovens agricultores, através de apoio técnico especializado, tanto na fase de instalação do negócio como nos primeiros anos de atividade. Esta ideia é recomendada por algumas figuras públicas, como António Correia de Campos, presidente do Conselho Económico e Social: «creio que deveria ser considerado o aumento do apoio técnico providenciado aos jovens agricultores, nomeadamente na definição de planos de longo prazo para os seus projetos, de forma a reduzir a mortalidade de projetos e empresas a um nível aceitável», comenta.

Na Conferência da Madeira estarão presentes representantes do Governo, entre os quais o Ministro da Agricultura e o Secretário de Estado da Juventude e Desporto, que terão oportunidade de ouvir as reivindicações dos Jovens Agricultores e apontar soluções para os seus problemas.

«Temos a certeza de que a agricultura e a pecuária, desenvolvidas com base em projetos sustentados, oferecem oportunidades de valor acrescentado para os jovens empreendedores, e propiciam emprego e rendimento igual ou superior a outras atividades económicas», afirma Miguel Filipe Machado de Albuquerque, Presidente do Governo Regional da Madeira, que participará na sessão de abertura da Conferência.

Na Região Autónoma da Madeira instalaram-se 58 jovens agricultores no anterior do Programa de Desenvolvimento Rural da Região Autónoma da Madeira (PRODERAM), e até 31 de dezembro de 2015, com projetos avaliados em 5,16 milhões de euros. Entretanto, já no quadro do PRODERAM 2020, em 2016, foram aprovadas as 8 primeiras instalações de jovens agricultores e, no 2.º período de apresentação de projetos, encontram-se em análise 20 novas outras candidaturas.

De acordo com os dados mais recentes, correspondentes ao 3º Trimestre de 2016, os setores agroflorestal e a agroindústria ocupam 12% da população empregada da Região Autónoma da Madeira (13.942 indivíduos).

Ler Artigo Original

Partilhar

Sobre o autor

Escrever Comentário

Powered by themekiller.com