Fungicida Tanil, da Agrototal, combate podridão cinzenta e é “amigo” das abelhas

0

Fungicida Tanil, da Agrototal, combate podridão cinzenta e é “amigo” das abelhas

O Tanil é o mais recente fungicida da Agrototal para o combate à podridão cinzenta (Botrytis cinerea) da videira, tomateiro (ar livre e estufa), pimenteiro (estufa), morangueiro (ar livre) beringela (ar livre e estufa) , pepino (estufa), courgette (aboborinha) (estufa), feijão-verde (estufa), alface (estufa), e pedrados da macieira (Venturia inaequalis) e da pereira (Venturia pirina). A empresa garante que o Tanil é “um produto compatível com as abelhas e selectivo com os insectos benéficos”.

O Tanil é um fungicida do grupo das anilinopirimidinas. Possui mobilidade translaminar e actividade preventiva e curativa. Inibe a síntese de aminoácidos e proteínas, actua na biossíntese da metionina.

Segundo a Agrototal, o Tanil possui “excelente acção de contacto, uma actividade translaminar e um efeito de vapor”. Controla “numerosas espécies de fungos, entre as quais a Botrytis cinérea e a Venturia sp.”.

Devido ao seu modo de acção a empresa recomenda que o Tanil seja aplicado de forma preventiva ou na altura do aparecimento dos primeiros sintomas. A persistência de acção pode ir até às 12 dias.

Intervalos de segurança reduzidos em várias culturas: 3 dias em pimenteiro em (estufa), pepino em (estufa), courgette (aboborinha) em (estufa), beringela (ar livre e estufa), morangueiro (ar livre) e tomateiro (ar livre e estufa).

Videira – Podridão cinzenta

A podridão cinzenta deve ser combatida com tratamentos fungicidas essencialmente à floração – alimpa e ao pintor.
O produto deve ser utilizado num único tratamento por estação. O outro tratamento deverá ser efectuado com outro fungicida doutro grupo químico, não devendo recorrer a outro fungicida do grupo das anilinopirimidinas. A aplicação deverá ser dirigida aos cachos devendo utilizar-se um volume de calda suficiente para molhar bem as plantas. Volume de calda: 500 – 1000 L/ha.

Macieira e Pereira – Pedrado

Seguir as indicações do Serviço Nacional de Avisos Agrícolas. Na falta destes iniciar as aplicações ao aparecimento da ponta verde das folhas, prosseguir os tratamentos enquanto as condições forem favoráveis ao desenvolvimento da doença. A persistência de acção do produto é de 8 a 10 dias, deve ser usado numa estratégia de protecção preventiva. Para evitar o desenvolvimento de resistências realizar no máximo 3 tratamentos com este ou outro fungicida do grupo das anilinopirimidinas. Volume de calda: 400 – 1000 L/ha.

Tomate, Beringela, Pimento, Morango – Podridão cinzenta

Iniciar o combate à podridão cinzenta dos frutos a partir da floração. A persistência de acção do produto é de 10 dias. Para evitar o desenvolvimento de resistências realizar no máximo 2 tratamentos com este ou outro fungicida do grupo das anilinopirimidinas. Efectuar um único tratamento em cada três antibotritis. Alternar o uso deste produto com ouros fungicidas de diferente modo de acção. Volume de calda: 400 -1000 L/ha.

Feijão Verde – Podridão cinzenta

Iniciar o combate à podridão cinzenta dos frutos a partir da floração. A persistência de acção do produto é de 10 dias. Para evitar o desenvolvimento de resistências realizar no máximo 2 tratamentos com este ou outro fungicida do grupo das anilinopirimidinas. Efectuar um único tratamento em cada três antibotritis. Alternar o uso deste produto com outros fungicidas de diferente modo de acção. Volume de calda: 400 -1000 L/ha.

Alface (estufa) – Podridão cinzenta

Iniciar os tratamentos no viveiro e após transplantação, sempre que as condições sejam favoráveis à doença (tempo húmido e chuvoso). A persistência de acção deste produto é 10 a 12 dias. Para evitar o desenvolvimento de resistências realizar no máximo 2 tratamentos com este ou outro fungicida do grupo das anilinopirimidinas. Efectuar um único tratamento em cada três antibotritis. Alternar o uso deste produto com outros fungicidas de diferente modo de acção. Volume de calda: 500 – 1000 L/ha.

Pepino e Courgete (estufa) – Podridão cinzenta

Iniciar o combate à podridão cinzenta dos frutos a partir da floração A persistência de acção do produto é de 10 a 12 dias Para evitar o desenvolvimento de resistências realizar no máximo 2 tratamentos com este ou outro fungicida do grupo das anilinopirimidinas. Efectuar um único tratamento em cada três antibotritis. Alternar o uso deste produto com outros fungicidas de diferente modo de acção. Volume de calda: 500 – 1000 L/ha

Precauções biológicas

  • Para evitar o desenvolvimento de resistências realizar no máximo, com este ou outro fungicida do grupo das anilinopirimidinas:
    – 1 tratamento em videira;
    – 3 tratamentos em pereira e macieira e;
    – 2 tratamentos em tomateiro, pimenteiro, beringela, pepino, courgette (aboborinha), feijão verde, alface, morangeiro.
  • Consultar a indústria transformadora antes de usar o produto em culturas cuja produção se destine a processamento industrial;
  • O Tanil é um produto compatível com as abelhas e selectivo com os insectos benéficos.

Características físico-químicas

Estado físico: Líquido

Forma: Suspensão

Cor: Beje

Odor: Característico

pH: 6 – 8 a 1 % p/v

Ponto de inflamação: Nenhum ponto de fulgor – Medição feita até o ponto de ebulição.

Densidade: 1,09 g/cm3 a 20 °C

Temperatura de auto-ignição: >600 °C

Viscosidade, dinâmica: 50,0 – 120 mPa.s a 20 °C

Propriedades explosivas: Não explosivo

Propriedades comburentes: Não oxidante

Agricultura e Mar Actual

Agrototal 2016-09-12 Ana Cordeiro de SáLer Artigo Original

Partilhar

Sobre o autor

Escrever Comentário

Powered by themekiller.com