Exportações e importações diminuíram 4,6% e 7,2% em Julho

0

Exportações e importações diminuíram 4,6% e 7,2% em Julho

Em Julho de 2016,

As exportações de bens diminuíram 4,6% e as importações de bens decresceram 7,2% face ao mesmo mês de 2015 (-1,5% e -0,5% em Junho de 2016, respectivamente). Excluindo os combustíveis e lubrificantes, tanto as exportações como as importações decresceram 3,1% (respectivamente +1,1% e +3,5% em Junho de 2016), divulga hoje, 9 de Setembro, o Instituto Nacional de Estatística (INE).

O défice da balança comercial de bens atingiu 557 milhões de euros em Julho de 2016, reduzindo-se em 174 milhões de euros face ao mesmo mês de 2015. O défice da balança comercial, excluindo os combustíveis e lubrificantes, situou-se em 353 milhões de euros, menos 13 milhões de euros que no mês homólogo de 2015.

No trimestre terminado em Julho de 2016, as exportações de bens decresceram 2,3% e as importações de bens diminuíram 3,9%, face ao período homólogo. Além da habitual publicação de resultados mensais, o INE disponibiliza nesta data os resultados provisórios de 2015. Os resultados definitivos de 2015 serão disponibilizados em Maio de 2017.

Resultados Globais

Em Julho de 2016, em termos das variações homólogas mensais, as exportações decresceram 4,6% (-1,5% em Junho de 2016), em resultado da redução de 18,5% registada no Comércio Extra-UE (-14,8% em Junho de 2016), dado que as exportações Intra-UE aumentaram 0,8% (+3,6% em Junho de 2016). As importações diminuíram 7,2% (-0,5% em Junho de 2016), sobretudo devido à diminuição de 18,5% registada nas importações Extra-UE (-2,4% em Junho de 2016).

De salientar no entanto que, excluindo os combustíveis e lubrificantes, em Julho de 2016 tanto as exportações como as importações decresceram 3,1% face a Julho de 2015 (respectivamente +1,1% e +3,5% em Junho de 2016). Note-se que, desde meados de 2015, as exportações e importações excluindo os combustíveis e lubrificantes têm registado taxas de variação superiores às da totalidade das exportações e importações. Este diferencial de evolução reflecte em larga medida o impacto da redução dos preços dos combustíveis e lubrificantes, realça o INE.

Em Julho de 2016, no que se refere às variações face ao mês anterior, as exportações aumentaram 0,1%, em resultado da evolução do Comércio Intra-UE, enquanto as importações decresceram 6,5%, devido às reduções registadas em ambos os tipos de comércio.

No trimestre terminado em Julho de 2016, as exportações diminuíram 2,3% e as importações decresceram 3,9% face ao período homólogo (respectivamente -1,5% e -3,4% no 2º trimestre de 2016).

Menos exportações para fora da UE

Segundo os técnicos do INE, entre os principais países de destino em 2015, evidencia-se que os países Extra-UE foram os que mais contribuíram para a redução global das exportações verificada em Julho de 2016. As exportações diminuíram 39,9% para Angola, 22,6% para os Estados Unidos e 29,6% para a China.

Nas importações, verifica-se que Espanha foi o país que mais contribuiu para a redução global das importações em Julho de 2016, tendo atingido uma variação homóloga de -5,7%. De salientar ainda os decréscimos nas importações de Angola (-54,7%) e dos Estados Unidos (-23,4%), face ao mesmo mês de 2015.

Agricultura e Mar Actual

Exportações INE 2016-09-09 João BorgesLer Artigo Original

Partilhar

Sobre o autor

Escrever Comentário

Powered by themekiller.com