Cinco dicas para quem se quer iniciar no mundo dos vinhos

0

Apreciar um bom vinho é uma das experiências mais maravilhosas da vida. Para as pessoas que têm interesse em compreender mais profundamente a enorme variedade de aromas e sabores que as uvas oferecem, é preciso entender um pouco mais sobre a bebida que se tornou tão tradicional em diversos lugares do mundo.

Os iniciantes na arte do estudo dos vinhos, conhecido também como enologia, podem se surpreender com o prazer que a bebida pode trazer, principalmente se a escolha do vinho for feita com cuidado, para que harmonize com o prato a ser servido.

Para te ajudar nessa tarefa deliciosa, separamos algumas dicas para qualquer pessoa que queira aprender um pouco mais sobre o assunto e se tornar um expert em degustação de vinhos. Confira:

Tenha a cartela à sua disposição

Os vinhos podem ser divididos em 4 categorias: tinto, no qual a fermentação do mosto, ou seja, o suco de uva que dá início ao processo inteiro, ocorre em contato com as cascas, que é de onde vem a cor do vinho; branco, onde a fermentação do mosto não entra em contato com as cascas, e as uvas podem ser tintas ou brancas; rosé, em que o processo é feito com as uvas tintas, mas o contato do mosto com as cascas da fruta ocorre por pouco tempo; espumante, que é um vinho comum com uma mistura de leveduras e cana de açúcar adicionada, ocasionando uma segunda fermentação que tem como resultado o gás carbônico, responsável por tornar a bebida um espumante.

Uvas

Para a produção de vinhos brancos, as uvas utilizadas são: chardonnay (utilizada também em champagne), cheninblanc (para os vinhos doces e secos), pinotblanc (para bebidas mais leves e frutadas) e sauvgnonblanc (uva fresca e ácida). Já para a elaboração de vinhos tintos, as variedades de uvas mais famosas são: lambrusco, cabernetsauvignon, malbec, merlot, periquita, pinotnoir e syrah. Conhecer os tipos de uvas utilizados na garrafa de vinho é um importante fator a ser considerado na hora da escolha da bebida.

Como escolher a melhor garrafa?

As boas marcas de vinho investem bastante em rótulos mais detalhados. A etiqueta da garrafa conta com informações essenciais sobre a bebida, como nome do fabricante, região de origem, ano em que o vinho foi produzido, variedade da uva utilizada, identificação do engarrafador e graduação alcoólica. É muito importante saber interpretar o rótulo da garrafa, mas nem todo mundo é expert no assunto. Por isso, guarde os nomes de fabricantes de vinhos que você já tenha provado e aprovado. Além disso, outra dica para conhecer ainda mais a variedade da bebida é ir direto até os fabricantes mais famosos.

Tempo do vinho faz diferença?

Essa questão irá depender muito, pois o vinho só é bom de acordo com a capacidade que ele tem de envelhecer com qualidade, sem estragar a bebida – ou seja, o vinho é bom quando você pode tomá-lo hoje ou daqui a 10 anos, por exemplo; mas que, no entanto, sofrerá uma mudança em seu perfil após esse período. Conforme o tempo passa, a bebida ficará mais encorpada e intensa. Por isso, cabe a cada um experimentar e descobrir o vinho que mais lhe agrada.

Armazenamento da garrafa

O ideal é guardar as garrafas de vinhos em uma adega climatizada, porém nem todo mundo possui uma em casa. A sugestão de especialistas no assunto é colocar as garrafas em posição horizontal, pois dessa forma a rolha fica diretamente em contato com a bebida. Caso ela fique ressecada, o ar de fora poderá entrar na garrafa, fazendo o vinho perder sua qualidade. Se possível, armazene o produto em ambientes onde a temperatura não mude constantemente – o ideal é que seja de 15ºC. Além disso, evite locais com muita claridade e fique atento na hora de servir. Para os vinhos tintos, a temperatura ideal é de 15ºC a 17ºC, e para os vinhos brancos é de 10ºC a 12ºC.

Fonte: http://jeonline.com.br

Ler Artigo Original

Partilhar

Sobre o autor

Escrever Comentário

Powered by themekiller.com