Açores: Preço médio de pescado em lota aumenta 67% em quatro anos

0

Açores: Preço médio de pescado em lota aumenta 67% em quatro anos

“Hoje podemos afirmar que a estratégia desenvolvida pelo Governo dos Açores, em parceria com o sector, deu frutos”, afirmou director Regional das Pescas açoriano, Luís Costa, esta quinta-feira, 29 de Setembro, em Rabo de Peixe, acrescentando que se registou “um efectivo incremento do preço médio do pescado transaccionado em lota, que sofreu um aumento de 67% nos últimos quatro anos, passando de um valor de cerca de 2,86 euros em 2012, para 4,23 euros em 2016”.

“O importante é que cada cêntimo, cada euro que um profissional da pesca ganhe seja a justa remuneração pelo trabalho árduo que a profissão de pescador exige”, sublinhou, frisando que os profissionais da pesca devem encarar as suas embarcações “como empresas”.

O director Regional afirmou ainda que o Governo dos Açores tem direccionado as suas políticas de pescas para a “valorização do pescado”, salientando que este é “um factor determinante para o aumento dos rendimentos” dos profissionais deste sector.

Luís Costa defendeu, nesse sentido, como “factor preponderante” para a valorização do pescado “a forma como os profissionais da pesca efectuam o manuseamento, a estiva e a conservação a bordo do pescado”.

“As boas práticas levam a que o grau de frescura e a qualidade do pescado se mantenham desde a captura até ao prato do consumidor final, permitindo que os preços médios atinjam valores favoráveis”, frisou o director Regional, que falava numa apresentação a pescadores de um vídeo sobre a importância do correcto manuseamento e acondicionamento de pescado a bordo das embarcações, iniciativa que assinalou o Dia Mundial do Mar em São Miguel.

Diversificação das pescarias

Na sua intervenção, o director Regional das Pescas frisou ainda a importância da diversificação das pescarias como “uma forma de obter mais rendimentos e de contribuir para a sustentabilidade dos recursos”. “Quanto maior for o número de espécies diferentes que colocarmos nos mercados e quanto mais espécies conseguirmos levar à mesa dos consumidores, maiores serão os proventos que os pescadores retirarão a sua actividade”, afirmou.

Luís Costa lembrou também que o Governo Regional reabriu a Portaria 74 para apoiar a frota pesqueira dos Açores com o objectivo de se operarem “melhorias nas embarcações, dotando-as de melhores condições de segurança, trabalho, habitabilidade, bem como de conservação do pescado a bordo”, acrescentando que esta medida é “um importante contributo para a indústria de construção naval existente”.

Este evento realizado em Rabo de Peixe contou com a presença do ‘chef’ de cozinha Rui Malato, que abordou a importância do manuseamento do pescado para a sua valorização junto dos profissionais da restauração, tendo também defendido a necessidade de os pescadores açorianos reorientarem as pescarias para espécies que tradicionalmente são consideradas de menor valor comercial, mas que têm vindo a ser valorizadas no mercado, sobretudo devido a inovações gastronómicas.

O vídeo sobre o manuseamento e conservação do pescado a bordo das embarcações vai integrar os cursos de formação de pescadores que são ministrados pela Direcção Regional das Pescas em todas as ilhas do arquipélago.

Agricultura e Mar Actual

Açores 2016-09-30 CarlosCaldeiraLer Artigo Original

Partilhar

Sobre o autor

Escrever Comentário

Powered by themekiller.com