13ª edição do concurso nacional “Poliempreende” distingue Politécnico de Viseu

0

O concurso “Poliempreende”, este ano na sua décima terceira edição, é uma iniciativa que visa, através de um concurso de ideias e de planos de negócios, avaliar e premiar projetos desenvolvidos e apresentados por alunos, diplomados ou docentes de instituições de ensino superior politécnico, ou outras pessoas, desde que integrem equipas constituídas por estudantes e/ou diplomados. O seu objetivo máximo é incutir e estimular o empreendedorismo, bem como proporcionar saídas profissionais, de preferência através da criação da própria empresa.

O concurso tem uma componente regional e outra nacional. A fase nacional da décima terceira edição do concurso “Poliempreende” decorreu de 6 a 9 de setembro em Setúbal, tendo o instituto politécnico local como anfitrião.

O programa incluiu um circuito de visitas a empresas da região de Setúbal (nos dois primeiros dias) e as sessões de apresentação ao júri nacional das 19 equipas vencedoras das edições regionais, entre as quais a do IPV, nos dias 8 e 9.

O professor Braga da Cruz (ex-ministro da Economia) disse um dia que “o desafio do empreendedor é transformar ideias em iniciativas empresariais”. A frase retrata na perfeição o grande desiderato do concurso Poliempreende.

Nas deliberações finais do júri, a equipa do IPV “Cynatura” foi distinguida com uma “Menção Honrosa”. O plano de negócio consiste no aproveitamento da planta do cardo no seu todo, desde as raízes, folhas, caule, flor, até à semente. O projeto visa a aplicação, criação e inovação de um conhecimento multidisciplinar numa espécie funcional com vocações e aplicações diversas, em áreas fundamentais como alimentação & nutrição, saúde & cosmética, energia & óleos, proteção de plantas & biocidas, privilegiando a sustentabilidade ambiental e a integração social.

A equipa do Instituto Politécnico de Viseu “Cynatura é constituída por Ana Rita Pires Ferreira, Manuela Miguel Antunes e Maria Manuela Dias Alves (alunas do curso de Engenharia Agronómica da Escola Superior Agrária de Viseu – ESAV, que trabalharam na produção e desenvolvimento do projeto); António Pinto e Paulo Barracosa (docentes da ESAV, responsáveis pela investigação, conceção e inovação); Rui Coutinho (técnico laboratório da ESAV) e Paulo Medeiros (design gráfico – IPV).

O júri nacional, constituído por diversas entidades – Instituto Politécnico de Setúbal, Santander Totta, Delta Cafés, Gastão Cunha Ferreira Lda, AICEP e Ordem dos Contabilistas Certificados – deliberou atribuir os seguintes prémios:

– 1º Prémio: “Cateter Venoso Periférico com reconhecimento de permanência” – ESEnf Coimbra;

– 2º Prémio: “Be-Cone, primeiro prova-se, depois aprova-se” – ESHT Estoril;

– 3º Prémio: “Sound Particles TM” – IP Leiria;

– Menção Honrosa: “Cynatura” – IP Viseu;

– Menção Honrosa: “Zoowish” – IP Portalegre;

– Prémio Delta Inovação: ” SIGAme” – IP Castelo Branco;

– Prémio Gastão Cunha Ferreira ” Be-Cone” – ESHT Estoril.

O CYNATURA (Design of Nature Solutions based on Cynara with Signature) é um projeto que cria e aplica inovação com base no conhecimento multidisciplinar do cardo (Cynara cardunculus L.), considerada uma espécie funcional com vocações e aplicações diversas. Esta ideia surge na sequência da instalação na ESAV de campos de cardo em escala para a produção de flor em quantidade e qualidade para se assegurar a autenticidade e exclusividade do Queijo Serra da Estrela. Neste sentido, surgiu a oportunidade de se obter a baixo custo uma elevada quantidade de biomassa vegetal em fresco e seco que se constitui como uma oportunidade para o futuro.

Nas diversas vertentes do “Cynatura” pretende-se promover a valorização alimentar, da saúde e do bem-estar, a sustentabilidade ambiental e a integração social, afirmando o cardo como uma cultura de futuro que se inspira no potencial da biodiversidade e dos recursos genéticos e na valorização social dos recursos humanos. Em desenvolvimento, encontra-se um conjunto de produtos e conteúdos num planeamento escalonado, que se iniciou com o desenvolvimento e produção de produtos na área da cosmética e saúde (Cosmetics and Healthcare), designadamente um sabonete com propriedades hidratantes, antibacterianas, antifúngicas e esfoliantes, tendo por base extratos, essências e óleo de cardo. Paralelamente, na área Alimentar e da Nutrição (Food and Nutrition), aprimoram-se produtos gourmet derivados de raiz, pecíolo, folha e sementes de cardo, que aliam a exaltação dos aromas e texturas às características nutracêuticas. Atualmente, e para se dar cumprimento à missão global do projeto, encontra-se em fase de investigação para o desenvolvimento de produtos inovadores na área da proteção de plantas e biocidas (Plant Protection and Biocides) e dos óleos, essências e energia (Oils, Essences and Energy) muito vocacionados para a segurança e sustentabilidade ambiental.

Para a prossecução do projeto nesta fase, a equipa conta com a colaboração de um conjunto alargado de parceiros, dos quais se destacam: a Escola Superior Agrária de Viseu, a APPACDM-Viseu, o Estabelecimento Prisional do Campo e o Hotel Casa da Ínsua (Visabeira). Pela multidisciplinariedade do projeto, existem também contactos para se alargarem as parcerias, no próprio IPV e noutras unidades de investigação, nacionais e internacionais, mas também com empresas, no intuito de que se possa dar resposta aos constantes desafios que se colocam, desde a investigação, desenvolvimento e produção à comercialização e marketing.

A equipa do “Cynatura” agradece todo o empenho, apoio e conhecimento transmitido pela equipa responsável pela organização do 13º Poliempreende Regional em Viseu, bem como à equipa do Instituto Politécnico de Setúbal, que organizou o concurso nacional de uma forma exemplar, tendo constituído um ganho de experiência e ensinamentos notáveis para todos os elementos da equipa que seguramente os irão aplicar no futuro.

Ler Artigo Original

Partilhar

Sobre o autor

Escrever Comentário

Powered by themekiller.com